Mitsubishi espera produzir primeiro caminhão elétrico do mundo

Mitsubishi já planeja colocar 200 unidades do eCanter no mercado em 2018; fabricantes dos EUA e da Alemanha fazem parte do projeto

Mitsubishi Caminhões ElétricosA repartição de caminhões da fabricante japonesa Mitsubishi começou a produzir este ano, em parceria com a empresa estadunidense Bus Corp, o que foi chamado por elas de o “primeiro caminhão compacto elétrico do mundo produzido em massa”.

Batizado de “eCanter”, em referência ao já conhecido “Canter”, que vende cerca de 100 mil unidades por ano no mercado global, o novo veículo foi desenvolvido com uma bateria de lítio que ainda teve a participação de engenheiros da alemã Mercedes-Benz. A expectativa de todos é que o automóvel chegue até 100 quilômetros por hora mesmo quando carregado.

A Mitsubishi já entregou 25 unidades do pequeno caminhão para cada uma das 70 lojas credenciadas no Japão, mas espera produzir mais de 200 unidades em 2018, fazendo com que o veículo chegue ao exterior no ano que vem. Segundo a fabricante, ele já é produzido quase totalmente em fábricas distribuídas pela ilha nipônica, mas com partes específicas de montagem vindas de Portugal.

O caminhão elétrico pode reduzir não apenas o volume de gás carbônico despejado na atmosfera, mas também o nível de vibração e ruído nas grandes cidades, que hoje convivem com veículos pesados movidos a diesel. Segundo a fabricante, ele ainda pode ajudar a reduzir custos de tempo de rodagem: a expectativa é que cada 10 mil quilômetros rodados custem € 1.000 (R$ 4,2 mil).

As dimensões do veículo foram projetadas para entregas em áreas urbanas cujas ruas são mais estreitas, como é o caso de Tóquio, capital japonesa. Além de menor, ele também é mais leve: 7,4 toneladas com capacidade para três pessoas.

Projeto

O projeto faz parte de uma tentativa mundial de diminuir o tamanho dos veículos que fazem as entregas finais em áreas com fluxos intensos de pessoas, como é o caso do centro de São Paulo ou de Pequim, na China.

“Quando você observa o sistema de triciclos de Pequim, na China, utilizado para o último trecho de entrega de mercadorias, é possível pensar se aquele projeto não pode ser implementado no centro de São Paulo, na área em que só pedestres transitam. Hoje a distribuição de mercadoria naquela região é um desafio: caminhões têm dificuldade e existem restrições de acesso nos calçadões para distribuir produtos. Não poderiam ser usados esses triciclos?”, afirma Alessandro Santiago, pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

A capacidade da bateria – o que mais importa para os compradores – é de 66 quilowatts por caminhão (seis baterias com 11 quilowatts cada). Assim, para carregá-la, o método será o mesmo usado normalmente nos veículos elétricos que já rodam no Japão: o plugue produzido pela Mercedes-Benz deve preencher toda a bateria em 11 horas em uma voltagem normal de 200 volts, mas que pode demorar até 1,5 hora em caso de tomadas com voltagens maiores.

Atualmente, é impossível estabilizar um sistema de produção de larga escala para o eCanter, o que torna mais difícil projetar um motor especificamente para o caminhão. Como resultado Mitsubishi reduz os custos de fabricá-lo usando motores industriais de máquinas de construção nas carrocerias do compacto.

“Quando o número de produção crescer, vai ser possível usar um motor feito exclusivamente para o caminhão, melhorando significativamente sua performance”, explicou Kazuo Matsunaga, porta-voz da Mitsubishi, ao jornal nipônico Japan Today. “No futuro vamos se engajar no desenvolvimento de uma visão de fabricação de média e larga escala de caminhões elétricos”, completou ele.

A Mitsubishi já é uma das maiores revendedoras de veículos do Japão, tanto novos – em mais de 100 países pelo mundo, inclusive no Brasil – quanto usados, para quem revende por meio de leilão de caminhões e de automóveis pela internet, para países do Leste Asiático, da África e do Oriente Médio.

Fonte: Japão espera produzir primeiro caminhão elétrico do mundo

Matane.

Você gostaria de conhecer outro aspecto curioso sobre o Japão?

Click here to learn Japanese with JapanesePod101.comPor gentileza, não se esqueça que estou em uma jornada no aprendizado de um novo idioma. Assim, posso cometer alguns erros, tanto de grafia como de tradução ou mesmo, de interpretação. Portanto, tenham paciência. Obviamente, críticas construtivas são sempre bem vindas. Para tanto, utilizem o formulário neste link ou o espaço para comentários logo abaixo deste tópico.

Estou neste momento fazendo curso online neste website. Posso dizer que estou gostando muito. Além disso, acompanho vários canais de vídeo  no Youtube e artigos na Internet. Sempre que possível vou procurar manter atualizada a lista de links que julgo relevantes. Ela é facilmente identificável na coluna direita de nossa página inicial.

Mitsubishi espera produzir primeiro caminhão elétrico do mundo

Mitsubishi já planeja colocar 200 unidades do eCanter no mercado em 2018; fabricantes dos EUA e da Alemanha fazem parte do projeto

Mitsubishi Caminhões ElétricosA repartição de caminhões da fabricante japonesa Mitsubishi começou a produzir este ano, em parceria com a empresa estadunidense Bus Corp, o que foi chamado por elas de o “primeiro caminhão compacto elétrico do mundo produzido em massa”.

Batizado de “eCanter”, em referência ao já conhecido “Canter”, que vende cerca de 100 mil unidades por ano no mercado global, o novo veículo foi desenvolvido com uma bateria de lítio que ainda teve a participação de engenheiros da alemã Mercedes-Benz. A expectativa de todos é que o automóvel chegue até 100 quilômetros por hora mesmo quando carregado.

A Mitsubishi já entregou 25 unidades do pequeno caminhão para cada uma das 70 lojas credenciadas no Japão, mas espera produzir mais de 200 unidades em 2018, fazendo com que o veículo chegue ao exterior no ano que vem. Segundo a fabricante, ele já é produzido quase totalmente em fábricas distribuídas pela ilha nipônica, mas com partes específicas de montagem vindas de Portugal.

O caminhão elétrico pode reduzir não apenas o volume de gás carbônico despejado na atmosfera, mas também o nível de vibração e ruído nas grandes cidades, que hoje convivem com veículos pesados movidos a diesel. Segundo a fabricante, ele ainda pode ajudar a reduzir custos de tempo de rodagem: a expectativa é que cada 10 mil quilômetros rodados custem € 1.000 (R$ 4,2 mil).

As dimensões do veículo foram projetadas para entregas em áreas urbanas cujas ruas são mais estreitas, como é o caso de Tóquio, capital japonesa. Além de menor, ele também é mais leve: 7,4 toneladas com capacidade para três pessoas.

Projeto

O projeto faz parte de uma tentativa mundial de diminuir o tamanho dos veículos que fazem as entregas finais em áreas com fluxos intensos de pessoas, como é o caso do centro de São Paulo ou de Pequim, na China.

“Quando você observa o sistema de triciclos de Pequim, na China, utilizado para o último trecho de entrega de mercadorias, é possível pensar se aquele projeto não pode ser implementado no centro de São Paulo, na área em que só pedestres transitam. Hoje a distribuição de mercadoria naquela região é um desafio: caminhões têm dificuldade e existem restrições de acesso nos calçadões para distribuir produtos. Não poderiam ser usados esses triciclos?”, afirma Alessandro Santiago, pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

A capacidade da bateria – o que mais importa para os compradores – é de 66 quilowatts por caminhão (seis baterias com 11 quilowatts cada). Assim, para carregá-la, o método será o mesmo usado normalmente nos veículos elétricos que já rodam no Japão: o plugue produzido pela Mercedes-Benz deve preencher toda a bateria em 11 horas em uma voltagem normal de 200 volts, mas que pode demorar até 1,5 hora em caso de tomadas com voltagens maiores.

Atualmente, é impossível estabilizar um sistema de produção de larga escala para o eCanter, o que torna mais difícil projetar um motor especificamente para o caminhão. Como resultado Mitsubishi reduz os custos de fabricá-lo usando motores industriais de máquinas de construção nas carrocerias do compacto.

“Quando o número de produção crescer, vai ser possível usar um motor feito exclusivamente para o caminhão, melhorando significativamente sua performance”, explicou Kazuo Matsunaga, porta-voz da Mitsubishi, ao jornal nipônico Japan Today. “No futuro vamos se engajar no desenvolvimento de uma visão de fabricação de média e larga escala de caminhões elétricos”, completou ele.

A Mitsubishi já é uma das maiores revendedoras de veículos do Japão, tanto novos – em mais de 100 países pelo mundo, inclusive no Brasil – quanto usados, para quem revende por meio de leilão de caminhões e de automóveis pela internet, para países do Leste Asiático, da África e do Oriente Médio.

Fonte: Japão espera produzir primeiro caminhão elétrico do mundo

Matane.

Você gostaria de conhecer outro aspecto curioso sobre o Japão?

Click here to learn Japanese with JapanesePod101.comPor gentileza, não se esqueça que estou em uma jornada no aprendizado de um novo idioma. Assim, posso cometer alguns erros, tanto de grafia como de tradução ou mesmo, de interpretação. Portanto, tenham paciência. Obviamente, críticas construtivas são sempre bem vindas. Para tanto, utilizem o formulário neste link ou o espaço para comentários logo abaixo deste tópico.

Estou neste momento fazendo curso online neste website. Posso dizer que estou gostando muito. Além disso, acompanho vários canais de vídeo  no Youtube e artigos na Internet. Sempre que possível vou procurar manter atualizada a lista de links que julgo relevantes. Ela é facilmente identificável na coluna direita de nossa página inicial.

Learn Japanese with JapanesePod101.com
%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas