Estética – Wabi-sabi (侘寂 – わびさび)

Intrigado com os princípios da estética japonesa?

みなさん こんにちは. Podemos falar um pouco sobre estética?

Antes de mais nada, Estética é um termo que vem do grego aisthésis: percepção, sensação, sensibilidade. É um ramo da filosofia que tem por objetivo o estudo da natureza da beleza e dos fundamentos da arte.

Estuda o julgamento e a percepção do que é considerado beleza, a produção das emoções pelos fenômenos estéticos, bem como as diferentes formas de arte e da técnica artística; a ideia de obra de arte e de criação; a relação entre matérias e formas nas artes. Ou seja, uma área tão abrangente como subjetiva.

Por outro lado, a estética também pode ocupar-se do sublime, ou da privação da beleza, ou seja, o que pode ser considerado feio, ou até mesmo ridículo. (fonte: wikipedia) Entretanto, de minha parte sempre concluo que o feio não é essencial em si mesmo, uma vez que nada mais é do que a ausência de beleza. Obviamente conceitual. Nominal. Criacionista. Resumindo. Meu feio e meu belo só fazem real sentido para mim mesmo. Os demais, no máximo, percebem. Raramente compreendem.

E como isto se aplica ao japão?

Bem,  a estética japonesa é composta por um bom número de aspectos que espero poder expor um pouco aqui, começando com…

Wabi-sabi (侘寂 – わびさび)

Wabi-sabi  representa uma abrangente visão de mundo, centrada na aceitação da transitoriedade e imperfeição.

Esta concepção estética é muitas vezes descrita como “belo que é  imperfeito, impermanente e incompleto“, tendo sido uma idealização artística desenvolvida durante o período Muromachi (sec. XV), com bases em ideais do zen budismo.

Fundamentalmente é derivado dos ensinamentos das três marcas da existência: (三法印, sanbōin), nomeadamente anicca (impermanência), dukkha (sofrimento) e anatta (não-eu).

wabisabi estéticaDentre suas características estéticas do wabi-sabi encontramos assimetria, aspereza (rugosidade ou irregularidade), a simplicidade, a economia, a austeridade, a modéstia, a intimidade e a valorização da integridade ingênua de objetos e processos naturais.

Ou seja, o wabi-sabi é a apreciação estética do despojamento, frequentemente observada na cerimônia do chá que nos remete ao viver uma vida comum com despojamento, com insuficiência ou com imperfeição. É a doutrina do desapego.

São representados na produção artística através do rústico, do imperfeito, do monocromático e do aspecto natural.

Através do wabi (quietude) e sabi (simplicidade) é possível o alcance do vazio da mente que traz tranquilidade. Entenda com base nisso a simplicidade e sutileza japonesas.

Matana.

Você gostaria de conhecer outro aspecto curioso sobre o Japão?

Por gentileza, não se esqueça que estou em uma jornada no aprendizado de um novo idioma. Assim, posso cometer alguns erros, tanto de grafia como de tradução ou mesmo, de interpretação. Portanto, tenham paciência. Obviamente, críticas construtivas são sempre bem vindas. Para tanto, utilizem o formulário neste link ou o espaço para comentários logo abaixo deste tópico.

Estou neste momento fazendo curso online neste website. Posso dizer que estou gostando muito. Além disso, acompanho vários canais de vídeo  no Youtube e artigos na Internet. Sempre que possível vou procurar manter atualizada a lista de links que julgo relevantes. Ela é facilmente identificável na coluna direita de nossa página.

Estética – Wabi-sabi (侘寂 – わびさび)

Intrigado com os princípios da estética japonesa?

みなさん こんにちは. Podemos falar um pouco sobre estética?

Antes de mais nada, Estética é um termo que vem do grego aisthésis: percepção, sensação, sensibilidade. É um ramo da filosofia que tem por objetivo o estudo da natureza da beleza e dos fundamentos da arte.

Estuda o julgamento e a percepção do que é considerado beleza, a produção das emoções pelos fenômenos estéticos, bem como as diferentes formas de arte e da técnica artística; a ideia de obra de arte e de criação; a relação entre matérias e formas nas artes. Ou seja, uma área tão abrangente como subjetiva.

Por outro lado, a estética também pode ocupar-se do sublime, ou da privação da beleza, ou seja, o que pode ser considerado feio, ou até mesmo ridículo. (fonte: wikipedia) Entretanto, de minha parte sempre concluo que o feio não é essencial em si mesmo, uma vez que nada mais é do que a ausência de beleza. Obviamente conceitual. Nominal. Criacionista. Resumindo. Meu feio e meu belo só fazem real sentido para mim mesmo. Os demais, no máximo, percebem. Raramente compreendem.

E como isto se aplica ao japão?

Bem,  a estética japonesa é composta por um bom número de aspectos que espero poder expor um pouco aqui, começando com…

Wabi-sabi (侘寂 – わびさび)

Wabi-sabi  representa uma abrangente visão de mundo, centrada na aceitação da transitoriedade e imperfeição.

Esta concepção estética é muitas vezes descrita como “belo que é  imperfeito, impermanente e incompleto“, tendo sido uma idealização artística desenvolvida durante o período Muromachi (sec. XV), com bases em ideais do zen budismo.

Fundamentalmente é derivado dos ensinamentos das três marcas da existência: (三法印, sanbōin), nomeadamente anicca (impermanência), dukkha (sofrimento) e anatta (não-eu).

wabisabi estéticaDentre suas características estéticas do wabi-sabi encontramos assimetria, aspereza (rugosidade ou irregularidade), a simplicidade, a economia, a austeridade, a modéstia, a intimidade e a valorização da integridade ingênua de objetos e processos naturais.

Ou seja, o wabi-sabi é a apreciação estética do despojamento, frequentemente observada na cerimônia do chá que nos remete ao viver uma vida comum com despojamento, com insuficiência ou com imperfeição. É a doutrina do desapego.

São representados na produção artística através do rústico, do imperfeito, do monocromático e do aspecto natural.

Através do wabi (quietude) e sabi (simplicidade) é possível o alcance do vazio da mente que traz tranquilidade. Entenda com base nisso a simplicidade e sutileza japonesas.

Matana.

Você gostaria de conhecer outro aspecto curioso sobre o Japão?

Por gentileza, não se esqueça que estou em uma jornada no aprendizado de um novo idioma. Assim, posso cometer alguns erros, tanto de grafia como de tradução ou mesmo, de interpretação. Portanto, tenham paciência. Obviamente, críticas construtivas são sempre bem vindas. Para tanto, utilizem o formulário neste link ou o espaço para comentários logo abaixo deste tópico.

Estou neste momento fazendo curso online neste website. Posso dizer que estou gostando muito. Além disso, acompanho vários canais de vídeo  no Youtube e artigos na Internet. Sempre que possível vou procurar manter atualizada a lista de links que julgo relevantes. Ela é facilmente identificável na coluna direita de nossa página.

Learn Japanese with JapanesePod101.com
%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas